Por dentro das Disfunções Urinárias

Como aproveitar as festas de final de ano sem medo de ser feliz

Quem tem bexiga hiperativa ou incontinência urinária sabe o quanto a alimentação pode interferir na evolução de suas crises, frustrando ainda mais quem sofre com o problema. Pensando nisso e na chegada das festas de final de ano com grande oferta de comidas e bebidas deliciosas e irresistíveis, selecionamos algumas informações bastante úteis para você, com a ajuda do urologista - Dr. Marcio Augusto Averbeck (CRM 28361).

Como e porque alguns alimentos aumentam os sintomas urinários

Alguns alimentos contem substâncias que alteram do pH da urina ou ocasionam inflamação local, causando irritação na bexiga.

Alimentos e bebidas que agravam os sintomas da bexiga hiperativa

A substância mais estudada neste contexto é a cafeína, mesmo não havendo evidência de que ela efetivamente possa desencadear urgência miccional. Em geral, indivíduos que ingerem mais de 200 a 250 ml de café por dia são classificados como tendo maior risco. É importante também ressaltar que a cafeína está presente em diversos tipos de bebidas, como chás, refrigerantes, energéticos, entre outras.

Outros alimentos considerados irritantes vesicais são os condimentos em geral, em especial catchup, mostarda e pimenta, bem como alguns embutidos.

Bebidas alcoólicas tem efeito diurético, piorando os sintomas de bexiga hiperativa.

Reações diferentes de pessoa para pessoa

Apesar de a alimentação apresentar influência importante sobre o funcionamento da bexiga é preciso considerar que cada pessoa tem uma sensibilidade individual a diferentes substâncias. Desta forma, é possível que alguns alimentos e bebidas que estejam na lista dos irritantes vesicais não ocasionem sintomas tão fortes em alguns indivíduos quanto em outros.

Manobras de ingestão durante as confraternizações de final de ano

A redução da ingesta de alguns tipos de alimento é ainda a conduta mais empregada no manejo inicial dos pacientes que sofrem com sintomas de bexiga hiperativa, mas é possível manejá-la em tempos de festas de final de ano.

Inicialmente, o ideal é testar separadamente os efeitos dos alimentos antes do período das festas para confirmar qual tem influencia sobre a pessoa em especifico. Para isso, indica-se cortar todos os alimentos considerados irritantes antes deste período e inserir um a um, gradativamente, observando possível piora dos sintomas.

Ingerir água junto com bebidas alcoólicas é também é uma conduta que potencialmente diminui a toxicidade do álcool no organismo, pois a quantidade final ingerida se torna menor. Entretanto, independente do tipo de bebida, não se recomenda a ingestão de grandes volumes em um curto intervalo de tempo.

Também é possível, sob a orientação de médico responsável, aumentar temporariamente a dose dos medicamentos para quem antevê um aumento da ingestão de líquidos irritantes vesicais no período de festas.

Por último, é importante destacar que como em tudo na vida, o equilíbrio é sempre a melhor conduta. Se privar totalmente do que se gosta pode gerar efeitos emocionais tão nocivos quanto os alimentos. Por isso, se confraternize sob a máxima da mente sã, corpo são.