Por dentro das Disfunções Urinárias

Você sabe o que é e como tratar a incontinência urinária mista?

Caracterizada pela perda involuntária de urina, a incontinência urinária é uma das disfunções do trato urinário mais comum nos brasileiros. Suas causas variam bastante, podendo ocorrer a partir de sobrepeso, de tumores, de esforço durante a gravidez e parto natural, entre outras doenças. A doença pode se classificar em incontinência urinária de esforço, de urgência e a mista, ou seja, ocorre perda urinária tanto à urgência quanto na realização de esforços.

Para esclarecer todas as nossas dúvidas sobre a incontinência urinária mista, convidamos o Dr. Alexandre Fornari (CRM RS-22017), urologista membro da Sociedade Brasileira de Urologia e da Sociedade Internacional de Continência (ICS). Confira:

Portal: O que diferencia a incontinência urinária mista das outras (esforço e urgência)?
Dr. Fornari:
A incontinência urinária de esforço é aquela em que o paciente perde urina ao realizar algum tipo de esforço, como espirrar, tossir, rir, bocejar, ou mesmo se movimentar e se exercitar. Já a incontinência urinária de urgência se caracteriza pela vontade súbita de urinar a qualquer momento, algumas vezes nem conseguindo chegar a um banheiro. Sendo assim, a incontinência urinária mista é uma combinação das incontinências de esforço e de urgência.

Portal: Quais são os sintomas da incontinência urinária mista?
Dr. Fornari:
Os sintomas compreendem tanto a perda urinária diante dos esforços exemplificados acima (em maior ou menor intensidade, de acordo com cada caso), bem como a urgência de urinar a qualquer momento, independente do esforço. Porém, existe uma predominância do componente de urgência ou do componente de esforço, que deve ser identificado através dos sintomas do paciente para a melhor condução do tratamento.

Portal: Que atitudes o paciente pode adotar para prevenir esta disfunção miccional?
Dr. Fornari:
Existem muitas medidas para se tentar prevenir a ocorrência de incontinência urinária, algumas com maiores graus de evidência, outras menores. Entretanto, todas são universalmente preconizadas em virtude de sua simplicidade. Por exemplo: hábitos de vida saudáveis, controle do peso, evitar tabagismo, evitar ingestão excessiva de cafeína, controle do hábito intestinal, prática regular de exercícios (evitando, porém, os de alto impacto ou extenuantes), visitas regulares ao médico, urinar sem pressa, em ambiente relaxado e regularmente, entre outros. Outra medida importante, especificamente para as mulheres, é procurar por atendimento de profissionais capacitados durante o parto. Eles podem ajudar a evitar lesões que propiciem disfunções pélvicas futuramente.

Portal: O que pode desencadear a incontinência urinária mista?
Dr. Fornari:
A incontinência urinária mista geralmente se inicia como incontinência urinária de urgência ou incontinência urinária de esforço. Com o passar do tempo, o paciente com incontinência urinária de esforço passa a urinar mais vezes, não deixando a bexiga encher adequadamente, o que pode diminuir o volume de urina que desencadeia o desejo miccional e a urgência. Vale o lembrete de que pacientes com incontinência urinária de urgência podem, assim como o restante da população, desenvolver incontinência urinária de esforço, configurando então a incontinência urinária mista.

Portal: De forma geral, quais pessoas são mais acometidas pela incontinência urinária?
Dr. Fornari:
Mulheres e pessoas idosas sofrem mais com a doença, mas isso não significa que homens e pessoas jovens estejam isentas. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, na população de pessoas entre 60 e 74 anos, 9% dos homens e 22% das mulheres já tiveram incontinência urinária. Já na população acima de 75 anos, a incidência aumenta para 23% nos homens e 36% nas mulheres.

Portal: Quais são os tratamentos existentes para lidar com esta disfunção?
Dr. Fornari:
Atualmente existem muitas opções, que incluem medidas comportamentais, como controle de ingestão de líquidos e de substâncias desencadeadoras de urgência, fisioterapia pélvica, medicações – especialmente para o componente de urgência, cirurgias para incontinência urinária de esforço, injeção de toxina botulínica A na bexiga e até o implante de um marca-passo vesical para alguns casos mais resistentes de incontinência de urgência. As medidas comportamentais não devem ser subestimadas e, mesmo quando não resolvem o problema, melhoram muito o impacto da incontinência urinária na qualidade de vida do paciente. O tratamento específico inicial geralmente é dirigido ao componente da incontinência (esforço ou urgência) mais proeminente naquele momento. Inicialmente, trata-se o que mais incomoda o paciente e, em seguida, o outro componente. Sendo a urgência, associam-se ao tratamento inicial algumas medicações. Sendo o esforço, a cirurgia pode ser considerada após um período de fisioterapia. Muitas vezes, o tratamento de um dos componentes já melhora o outro. Após esta linha de tratamento, o paciente é reavaliado e tratamentos como toxina botulínica A ou neuromodulação podem ser considerados.

Portal: Qual é a ação da toxina botulínica A neste tipo de tratamento?
Dr. Fornari:
Ela age no componente de urgência, sendo um tratamento bastante eficaz mesmo em casos inicialmente refratários – além de ser pouco invasivo e reversível. Uma aplicação de toxina botulínica A pode ser feita de forma ambulatorial, com duração de 7 a 12 meses, e pode ser repetida quantas vezes for necessário. Outro detalhe importante é que melhora a convivência social, vida sexual e autoestima dos pacientes. A pessoa recupera o controle da própria vida e retoma atividades comuns que antes eram realizadas com dificuldade.

Portal: Que dicas o doutor costuma dar aos seus pacientes para que não percam a qualidade de vida?
Dr. Fornari:
Qualidade de vida deve ser sempre buscada. É importante entender que incontinência urinária não é normal – independente do tipo. Ela compromete a autoestima, a vida sexual, a vida social e laboral e, em alguns casos, leva a um isolamento social. Ou seja, compromete a qualidade de vida como um todo. O portador de incontinência precisa sair da sua zona de conforto e buscar tratamento, pois o retorno é extremamente gratificante!